Mensagem

"A GRATIDÃO DESBLOQUEIA A ABUNDÂNCIA DA VIDA".

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Coluna Vertebral

O que é: 

Também conhecida como espinha dorsal, a coluna vertebral é formada por ossos chamados vértebras. É uma estrutura bastante flexível que dá movimento e sustentação ao corpo.

Funções:

A coluna vertebral está ligada à medula espinhal finalizando-a e a protegendo. Ela é a responsável pela sustentação da cabeça, fixação das costelas e os músculos do dorso. Suas curvaturas são responsáveis pela força, sustentação e equilíbrio corporal.

Ossos que compõe a coluna vertebral;

A coluna vertebral de uma pessoa adulta é composta por 26 ossos e 33 vértebras, sendo 7 vértebras cervicais, 12 torácicas, 5 vértebras lombares, 1 sacro (formado por 5 vértebras fusionadas) e 1 cóccix (formado por 4 vértebras fusionadas).

Dentre todas as vértebras, somente duas (o sacro e o cóccix) não se movimentam, as vértebras restantes (cervicais, torácicas e lombares) são móveis.

Entre as vértebras há discos que formam articulações, que propiciam a movimentação da coluna e a absorção de impactos.

Principais problemas que acometem a coluna vertebral:

- Cifose: é um desvio exagerado da curvatura torácica que deixa a pessoa com as costas arqueadas, tórax retraído e com projeção dos ombros para frente;

- Escoliose: desvio lateral da coluna vertebral, geralmente localizado na região torácica;

- Lordose: desvio que geralmente ocorre na região da bacia e que resulta numa curvatura exagerada,ombros voltados para trás;

- Hérnia de disco: deslocamento do disco que se localiza entre as vértebras, ocorre com maior freqüência na região lombar, pois esta, é a região da coluna que suporta maior peso, além de ser a que apresenta maior curvatura;

- Artrose: popularmente conhecida como bico de papagaio, é originada pelo atrito entre as vértebras.

FONTE:todabiologia.com

Funções do Sangue

HEMÁCEAS

Funções:

- Realizar a respiração celular.

- Transportar oxigênio até os diversos tecidos do corpo.

- Transportar parte do gás carbônico através da hemoglobina (um dos principais componentes das hemácias).


LEUCÓCITOS 

Funções:

- São responsáveis pela proteção do organismo (função imunológica). Combatem microrganismos (vírus, bactérias, parasitas) causadores de doenças e qualquer substância estranha que penetre no corpo humano (exemplo: proteínas que não são estranhas ao organismo).

- Fazem a limpeza do organismo, através da destruição de células mortas ou restos de tecidos.

PLAQUETAS 

Funções:

- São responsáveis pela coagulação do sangue. Ou seja, são fundamentais no processo de hemostasia (mecanismo do corpo para conter uma hemorragia).

PLASMA SANGUÍNEO

Funções:

- Realizam o transporte de hemácias, plaquetas, leucócitos, anticorpos, vitaminas, hormônios, gases, proteínas e sais.

- Possuem função reguladora, pois permitem as células efetuarem a eliminação de substâncias geradas no processo metabólico. Neste sentido, possibilitam também o recebimento dos nutrientes fundamentais para o funcionamento celular.

- Atuam como reserva de água do corpo.



Fonte:todabiologia.com

Leucócitos

O que são Leucócitos 

Os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, são células presentes no sangue e produzidas na medula óssea e no tecido linfático. São chamados de glóbulos brancos, pois, ao contrário das hemácias (glóbulos vermelhos), não possuem pigmentos.

Função dos Leucócitos:

- Realizar a defesa do organismo contra agentes infecciosos (vírus, bactérias e substâncias alergênicas). Este processo ocorre, pois os leucócitos possuem a capacidade de produzir anticorpos.

Características principais:

- Possuem formato esférico;

- Possuem cor branca;

- Possuem tamanho entre 7 e 20 micrômetros (são visualizados apenas com microscópios potentes);

- No corpo humano de uma pessoa saudável existem entre 4 mil e 11 mil leucócitos por mililitro de sangue. Porém, numa pessoa com infecção, o número de leucócitos pode chegar a 30 mil por ml de sangue.

Classificação dos Leucócitos

Os leucócitos podem ser classificados de acordo com o formato do núcleo.

Linfócitos mononucleares:

- Linfócitos: possuem núcleo esférico. Localizam-se, principalmente, nos órgãos linfóides.

- Monócitos: são gerados na medula óssea. Possuem citoplasma de corazulada. É o de maior tamanho entre os leucócitos (podem chegar a 20 micrômetros). 

Linfócitos polimorfonucleares:

- Basófilos: núcleo com formato da letra "S". Produzido na medula óssea. Entre os leucócitos é o tipo encontrado em menor número.

- Neutrófilos: possuem citoplasma de cor rosa claro. É o de maior quantidade no sangue humano (de 50 a 70%). Apresentam grânulos em seu citoplasma.

- Eosinófilo: é produzido na medula óssea e apresentam grânulos em seu citoplasma.

Você sabia?

- O corpo humano de uma pessoa pode produzir até 100 milhões de leucócitos por dia.

- No pus existe uma grande quantidade de leucócitos mortos, pois eles agiram na infecção e morreram. Logo, a existência de pus é um indicativo de que está ocorrendo um processo infeccioso no corpo e que o sistema imunológico, através dos leucócitos, está agindo.

- A redução do número de leucócitos no sangue de uma pessoa é conhecida como leucopenia.



Fonte:todabiologia.com

Hemáceas

O que são 

As hemácias, também conhecidas como eritrócitos, são os glóbulos vermelhos do sangue. A hemácia é o elemento presente em maior quantidade no sangue. Existem cerca de 5 milhões de hemácias por milímetro cúbico, no sangue de um homem adulto e saudável (na mulher, cerca 4,5 milhões).

Componentes das hemácias e função

A Hemoglobina é o principal componente das hemácias. De coloração avermelhada, ela possui a função de fazer o transporte de oxigênio pelos diferentes tecidos do corpo humano. Transporta também uma pequena quantidade de gás carbônico.

Além da hemoglobina, as hemácias também são compostas por íons, glicose, água e enzimas.

Características principais:

- Possuem formato de disco bicôncavo;

- Não possuem núcleo;

- Medem 0,007 milímetros de diâmetros

Formação:

Eritropoiese é o nome científico que se dá a formação das hemácias no corpo humano. Este processo acontece na Medula Óssea.

Curiosidades:

- Uma hemácia vice, em média, de 100 a 120 dias.

- São produzidas cerca de 2,4 milhões de hemácias por segundo em nosso corpo.

- A contagem de hemácias presentes no sangue é feito através de um exame laboratorial conhecido como hemograma.

- A cor vermelha do sangue é explicada pela presença das hemácias.

- A diminuição no tamanho das hemácias é chamada de microcitose. Já o aumento é conhecido por macrocitose.

Fonte:todabiologia.com


Sangue Humano

O que é 

O sangue é um tecido conjuntivo líquido, produzido na medula óssea vermelha, que flui pelas veias, artérias e capilares sanguíneos dos animais vertebrados e invertebrados. O sangue é um dos três componentes do sistema circulatório, os outros dois, são o coração e os vasos sanguíneos. 

Funções

Ele é responsável pelo transporte de substâncias (nutrientes, oxigênio, gás carbônico e toxinas), regulação e proteção de nosso corpo.

Composição do sangue

Nele encontramos o plasma sangüíneo, responsável por 66% de seu volume, além das  hemácias, dos leucócitos e das plaquetas, responsáveis por aproximadamente 33% de sua composição.

A maior parte do plasma sanguíneo é composta por água (93%), daí a importância de sempre nos mantermos hidratados ingerindo bastante líquido. Nos 7% restantes encontramos: oxigênio, glicose, proteínas, hormônios, vitaminas, gás carbônico, sais minerais, aminoácidos, lipídios, uréia, etc.

Os glóbulos vermelhos, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos, transportam o oxigênio e o gás carbônico por todo o corpo.  Essas células duram aproximadamente 120 dias, após isso, são repostas pela medula óssea.

O glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, são responsáveis pela defesa de nosso corpo. Eles protegem nosso organismo contra a invasão de microorganismos indesejados (vírus, bactérias e fungos). De forma bastante simples, podemos dizer que eles são nossos "soldadinhos de defesa".

As plaquetas são fragmentos de células, presentes no sangue, que realizam a coagulação, evitando assim sua perda excessiva de sangue (hemorragia).

 Elas geralmente agem quando os vasos sangüíneos sofrem danos. Um exemplo  simples é o caso de uma picada de agulha, onde observa-se uma pequena e ligeira perda de sangue que logo é estancada, isto ocorre graças ao tampão plaquetário.

Curiosidade: 

- O ramo que estuda o sangue e as suas doenças é a hematologia.

FONTE:Todabiologia.com



quarta-feira, 14 de agosto de 2013

ÁTOMO - ESTRUTURA

video
Fonte: You Tube vídeo aulas.
 Não percam  esse vídeo, revisão do conteúdo para as provas. Bom estudo!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Composição Química da Água



 



         A água é composta por hidrogénio e oxigénio   (2 moléculas de hidrogénio e 1 de oxigénio - H2O) 

 

      É uma substância química essencial para a vida do ser humano, animais e plantas. 
 
      A água enquanto substância pode ser encontrada não só em forma liquida mas também gasoso.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Fotossíntese



Fotossíntese é um processo realizado pelas plantas para a produção de energia necessária para a sua sobrevivência.
Como acontece?
A água e os sais minerais são retirados do solo através da raiz da planta e chega até as folhas pelo caule em forma de seiva, denominada seiva bruta. A luz do sol, por sua vez também é absorvida pela folha, através da clorofila, substância que dá a coloração verde das folhas. Então a clorofila e a energia solar transformam os outros ingredientes em glicose. Essa substância é conduzida ao longo dos canais existentes na planta para todas as partes do vegetal. Ela utiliza parte desse alimento para viver e crescer; a outra parte fica armazenada na raiz, caule e sementes, sob a forma de amido.
A fotossíntese também desempenha outro importante papel na natureza: a purificação do ar, pois retira o gás carbônico liberado na nossa respiração ou na queima de combustíveis, como a gasolina, e ao final, libera oxigênio para a atmosfera.
As plantas como fonte de energia
A fotossíntese é uma das principais fontes de energia da natureza, não só para os vegetais, mas para vários outros seres vivos. Sendo assim, os vegetais estão na origem da cadeia alimentar fornecendo para os animais, entre eles, o homem.
A energia acumulada nas plantas é também aproveitada pelo homem através da queima do petróleo, da lenha e do carvão.

O pulmão do mundo
Até pouco tempo, acreditava-se que a região amazônica era a grande responsável pela manutenção dos níveis de oxigênio da terra, sendo popularmente chamada de ‘pulmão da terra’. Porém, recentes pesquisas descobriram a existência de um novo “pulmão”: as algas marinhas. Apesar de se apresentar nas cores verdes, azuis, marrons, amarelas e vermelhas, todas as algas possuem clorofila e fazem fotossíntese. Como são muito rnumerosas, que se atribui a sua fotossíntese a maior `
parte de oxigênio do Planeta.

Fonte: www.unicruz.br

POLINIZAÇÃO: A maneira pela qual as plantas se reproduzem.




O objetivo principal de qualquer flor é atrair o agente polinizador, para garantir a perpetuação de espécie pela polinização. Os agentes polinizadores geralmente são insetos (entomofilia), aves (ornitofilia) e morcegos (quiropterofilia). Normalmente, as flores coloridas atraem seu agente com eficiência, devido aos diferentes tons e quantidade de cores.
Os insetos conseguem perceber tons que variam do amarelo ao vermelho com grande facilidade. As flores coloridas também se destacam entre os vários tons de verde da vegetação. Mas, as flores brancas não dispõem deste mecanismo, e, portanto utilizam o seu perfume. Este também é um mecanismo muito eficaz.
Após ser atraído, o inseto se alimenta e, ao retirar o néctar de uma planta, acaba levando o pólen dela para outra, garantindo assim a variabilidade genética. Mas quais são as partes da flor que recebem o pólen? Como ocorre a fecundação? Antes de responder estas questões, vejamos as partes de uma flor.

Partes da flor

Primeiramente as flores são formadas por três partes distintas, são elas;
  • pedúnculo: parte que sustenta a flor e está ligada ao caule;

  • receptáculo: porção dilatada do pedúnculo onde se encontram os verticilos florais;

  • verticilos florais: cálice e a corola (estes servem para proteção) e androceu e gineceu (que servem para reprodução).

O cálice é o conjunto de sépalas (folhas verdes modificadas), enquanto que a corola corresponde ao conjunto de pétalas (folhas coloridas). O androceu é o órgão masculino da flor e é formado por estames. Os estames são formados por filete, antera e conectivo. Na antera se localizam dois sacos polínicos, local onde são produzidos e armazenados os grãos de pólen.
O gineceu é o órgão feminino da flor e é formado por um ou mais carpelos. O carpelo ou pistilo é formado por estigma, estilete e ovário. No interior do ovário podemos encontrar os óvulos. Algumas plantas amadurecem apenas um óvulo por ovário como, por exemplo, o pêssego, o abacate entre outros, enquanto outras plantas amadurecem vários óvulos como é o caso do tomate, melancia, etc.

O caminho do pólen

Agora que já desvendamos as partes da flor, vejamos o caminho que o pólen realiza para que ocorra a fecundação. A maioria das flores é hermafrodita, pois apresentam o androceu e o gineceu, mas geralmente as plantas não realizam a autofecundação, ou seja, o grão de pólen não atinge o seu estigma. Plantas como a ervilha são capazes de serem fecundadas antes mesmo da abertura da flor.
Há ainda flores hermafroditas em que isto não ocorre, pois no momento em que o pólen está sendo dissipado, o gineceu da mesma planta não se encontra "aberto", ou apresenta mecanismos para impedir a autofecundação, como maturidade dos gametas em momentos diferentes, ou disposição do androceu em relação ao gineceu.
Existe um grande caminho entre a formação de uma planta, abertura da flor, polinização, desenvolvimento do fruto e da semente, até o reinício de um novo ciclo no Reino plantae e só nos resta observar, contemplar e respeitar o tempo estipulado pela natureza.
Cristina Faganelli Braun Seixas é bióloga e professora no Colégio Núcleo Educacional da Granja Viana.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

SAIBA TUDO SOBRE A DENGUE


Perguntas Frequentes


1) O que é dengue?

A dengue é uma doença febril aguda. A pessoa pode adoecer quando o vírus da dengue penetra no organismo, pela picada de um mosquito infectado, o Aedes aegypti.

2) Quanto tempo depois de ser picado aparece a dengue?

Se o mosquito estiver infectado, o período de incubação varia de três a 15 dias, sendo mais comum de cinco a seis dias.

3) Quais são os sintomas da dengue?

Os sintomas mais comuns são febre, dores no corpo, principalmente nas articulações, e dor de cabeça. Também podem aparecer manchas vermelhas pelo corpo e, em alguns casos, sangramento, mais comum nas gengivas.

4) O que devo fazer se aparecer alguns desses sintomas?

Buscar o serviço de saúde mais próximo.

5) Como é feito o tratamento da dengue?

Não há tratamento específico para o paciente com dengue clássica. O médico deve tratar os sintomas, como as dores de cabeça e no corpo, com analgésicos e antitérmicos (paracetamol e dipirona). Devem ser evitados os salicilatos, como o AAS e a Aspirina, já que o seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. Também é importante que o paciente fique em repouso e ingira bastante líquido.
Já os pacientes com Febre Hemorrágica do Dengue (FHD) devem ser observados cuidadosamente para identificação dos primeiros sinais de choque, como a queda de pressão. O período crítico ocorre durante a transição da fase febril para a fase sem febre, geralmente após o terceiro dia da doença. A pessoa deixa de ter febre e isso leva a uma falsa sensação de melhora, mas em seguida o quadro clínico do paciente piora. Em casos menos graves, quando os vômitos ameaçarem causar desidratação, a reidratação pode ser feita em nível ambulatorial. Alguns dos sintomas da dengue só podem ser diagnosticados por um médico.

6) A pessoa que pegar dengue pode morrer?

A dengue, mesmo na forma clássica, é uma doença séria. Caso a pessoa seja portadora de alguma doença crônica, como problemas cardíacos, deve ter cuidados especiais. No entanto, a dengue é mais grave quando se apresenta na forma hemorrágica. Nesse caso, quando tratada a tempo, a pessoa não corre risco de morte.

7) Quais os cuidados para não se pegar dengue?

Como é praticamente impossível eliminar o mosquito, é preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros desse inseto. Por exemplo: uma bacia no pátio de uma casa é um risco, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos neste local. Então, o único modo é limpar e retirar tudo que possa acumular água e oferecer risco. Em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências.

8) O que devo fazer para evitar o mosquito da dengue?

Para evitar o mosquito da dengue, é preciso eliminar os focos de reprodução.

9) Depois de termos dengue, podemos pegar novamente?

Sim, podemos, mas nunca do mesmo tipo de vírus. Ou seja, a pessoa fica imune contra o tipo de vírus que provocou a dengue, mas ela ainda poderá ser contaminada pelas outras três formas conhecidas do vírus da dengue.

10) Posso pegar dengue de uma pessoa doente?

Em hipótese alguma. Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, nem de fontes de água ou alimento.

11) Quantos tipos de vírus da dengue existem?

São conhecidos quatro sorotipos da dengue: 1, 2, 3 e 4, sendo o último o mais raro.

12) Existe vacina contra a dengue?

Ainda não, mas a comunidade científica internacional e brasileira está trabalhando firme nesse propósito. Estimativas indicam que deveremos ter um imunizante contra a dengue em cinco anos. A vacina contra a dengue é mais complexa que as demais. A dengue, com quatro vírus identificados até o momento, é um desafio para os pesquisadores. Será necessário fazer uma combinação de todos os vírus para que se obtenha um imunizante realmente eficaz contra a dengue.

13) Por que a dengue ocorre no Brasil?

É um sério problema de saúde pública em todo o mundo, especialmente nos países tropicais como o nosso, onde as condições do meio ambiente, aliado a características urbanas, favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Mais de 100 países em todos os continentes, exceto a Europa, registram a presença do mosquito e casos de dengue.

14) O inseticida aplicado para matar o mosquito de dengue funciona mesmo? E a nebulização (fumacê)?

Sim, os produtos funcionam. Tanto os larvicidas quanto os inseticidas distribuídos aos estados e municípios pela Secretaria de Vigilância em Saúde têm eficácia comprovada, sendo preconizados por um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde.
Os larvicidas servem para matar as larvas do mosquito. São aqueles produtos em pó, ou granulado, que o agente de combate a dengue coloca nos ralos, caixas d'água, enfim, nos lugares onde há água parada que não pode ser eliminada.
Já os inseticidas são líquidos espalhados pelas máquinas de nebulização, que matam os insetos adultos enquanto estão voando, pela manhã e à tarde, porque o mosquito tem hábitos diurnos. O fumacê não é aplicado indiscriminadamente, sendo utilizado somente quando existe a transmissão da dengue em surtos ou epidemias. Desse modo, a nebulização pode ser considerada um recurso extremo, porque é utilizada em um momento de alta transmissão, quando as ações preventivas de combate à dengue falharam ou não foram adotadas.
Algumas vezes, os mosquitos e larvas desenvolvem resistência aos produtos. Sempre que isso é detectado, o produto é imediatamente substituído por outro.
FONTE: Ministério da Saúde